domingo, 22 de maio de 2011

ARTESANATO ” PEGACHO” – TRABALHOS EM MADEIRA E CORTIÇA

No Pego - Aldeia das Casas Baixas sempre houve quem se destacasse mais nas artes manuais, realizando trabalhos de artesanato de uma riqueza e beleza fora do comum.
Noutros tempos passados, onde a pobreza era “estado do povo”estes artesões eram solicitados para produzir os mais diversos artigos para que o povo se “desenrascasse” nas suas lides diárias. Estes produziam desde calçado, vestuário, ferramentas de trabalho, entre muitos outros.

Hoje em dia, estes artesãos, trabalham apenas como passatempo ou para manter um pequeno negócio de venda de artesanato.

O artesão que hoje vos falo, é Gabriel Jacinto Serrano, de 75 anos de idade, Natural da Freguesia do Pego e morador no “fund´aldeia”, que produz peças de artesanato apenas para manter um passatempo que o faz recordar outros tempos. Não faz negócio das suas peças, guardando para si os trabalhos que vai produzindo, apenas cedendo ou construindo algumas a pedido.
Os seus trabalhos são efectuados sobretudo com madeira e cortiça, alguns em miniatura, representado objectos e ferramentas que em tempo eram bastante utilizados pelos “pegachos”. Outros objectos são fruto da sua imaginação com são exemplo os chapéus mexicanos!



 A "oficina " do artesão


 Dois candeeiros de teto!


 Estas três fotos representarão um moinho de vento, que que está em fase de conclusão, e que após finalizado e a funcionar fará "dançar o Rancho folclórico" ali representado.

 Uma pequena balança, elaborada toda em madeira e que executa a sua função na perfeição.
 Para os adeptos do Benfica, um boné em cortiça.
 Cesta em madeira.


 Cadeiras em miniatura, com "verga" e respectiva mesa.
 Um "cocho" para beber água, muito tradicional para estes lados.
 Uma "soca" em madeira.


 As tradicionais "tropeças em cortiça", que eram muito utilizadas por estes lados.
 Miniaturas dos talheres feitos e madeiras bem como o prato!
 A tradicional cesta, onde os trabalhadores rurais e os carvoeiros, transportavam o seu "farnel".



Vários instrumentos musicais em fase de construção!


 Dois chapéus mexicanos imaginados pelo artesão, construídos em cortiça.

 Dois tipos de chapéus construídos em cortiça!

 O artesão Gabriel Jacinto Serrano de 75 anos de idade.

Em conversa com o artesão sobre os seus trabalhos, nota-se na sua voz o orgulho pelos seus trabalhos, bem como a intenção de continuar a construir mais alguns, “até que as forças e a saúde o permitam”! É na realidade uma forma de se manter ocupado no seu dia-a-dia, afastando-se deste modo da rotina diária da “velhice”!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...