quarta-feira, 19 de outubro de 2011

A ALDEIA DO PEGO NO SÉCULO XX (1900 – 1949)


CRONOLOGIA DO PEGO NO SÉCULO XX (1900 – 1949)


Este registo do século XX, elaborado por Eduardo Campos, oferece-nos um inventário dos acontecimentos registados na freguesia do Pego, com a sua obra “Cronologia de Abrantes no Século XX”.
O século XX foi bastante conturbado, iniciando praticamente com a queda da monarquia e a implementação da republica, passando pelo período conturbado pelos vários governos republicanos que terminam com a a implementação do estado novo ( 1933 a 1974).
A 25 de Abril de 1974 acontece a “Revolução dos Cravos”, que vem implementar um regime Democrático em Portugal, regime este que dura até aos nossos dias.
Na região durante este século também existem vários registos de manifestações por falta de alimentos, intempéries que causam grandes prejuízos, bem como alguns surtos epidémicos.
Seguem-se os registos desta época ocorridos no século XX na Aldeia do Pego (1900 – 1949).

Eleitores inscritos
Data
Freguesias
Eleitores Inscritos
Julho de 1901
Pego
236
Abril de 1915
Pego
128
Dezembro de 1918
Pego
345
Dezembro de 1934
Pego
289
Fevereiro de 1935
Pego
395
Outubro de 1937
Pego
340
Outubro de 1938
Pego
340
Outubro de 1941
Pego
326
Novembro de 1942
Pego
423
Novembro de 1945
Pego
401

CENÇOS 
DATA
 FOGOS
POPULAÇÃO
Novembro de 1911
608
2417
Dezembro de 1913

2417
Outubro de 1920

2699
Dezembro de 1931
895
3132
Dezembro de 1940
1013
3004

 
22 DE Setembro de 1900 -  A região é assolada por violenta trovoada acompanhada com granizo . A imprensa da época refere que “não há memória de coisa assim”.
24 de Dezembro de 1905 – É inaugurada a Igreja do Pego
19 de Março de 1908 – É inaugurado o Centro Escolar republicano do Pego.
1 de Março de 1909 – Cai um forte nevão na região chegando a neve a atingir em alguns locais 50 cm de altura. Os termómetros chegam aos 4 graus negativos.
18 de Maio de 1910 – A passagem do cometa Halley provoca um grande susto, admitindo-se que a sua cauda seria fatal para o planeta.
7 de Outubro de 1910 – É empossado o regedor da Freguesia do Pego
10 de Abril de 1911 – É criado o posto de registo Civil da freguesia do Pego.
21 de Setembro de 1911 - É elaborado o arrolamento e inventário dos bens moveis e imóveis da igreja do Pego nos termos do artº 62 da Lei da Separação.
29 de Janeiro de 1913 – A Junta da Paroquia encerra a Igreja paroquial.
14 de Dezembro de 1913 – Realiza-se as eleições para ajunta de freguesia que fica constituída por elementos do Partido Republicano.
6 de Março de 1914 – A igreja do Pego encontra-se fechada por ter sido “abandonada “ pelo respectivo pároco.
Setembro de 1914 – Após reforma dos seus antigos estatutos, retoma a actividade a Irmandade de Nossa senhora do rosário da freguesia do Pego.
19 de Janeiro de 1916 – Trabalhadores Rurais da freguesia do Pego, em conjunto com outros de outras freguesias, encontram-se em greve e manifestam-se no Rossio ao sul do Tejo, exigindo o “Barateamento de géneros alimentícios”. Durante vários dias ocorrem greves e manifestações de trabalhadores reivindicando de aumentos salariais e de diminuição do preço de bens de primeira necessidade.
17 de Setembro de 1916 – No final de uma festividade realizada no Pego ocorrem graves tumultos populares, obrigando a intervenção de uma força da Guarda Nacional Republicana, do que resultou a morte de duas pessoas e um indeterminado numero de feridos.
18 de Novembro de 1917 – Realiza-se as eleições para a Junta de freguesia.
28 de Abril de 1918 – Realiza-se as eleições presidenciais, para os Senadores e deputados. Na freguesia do Pego Sidónio Pais ganha por larga maioria.
Outubro de 1918 – Há falta de bens alimentares por todo o concelho, nomeadamente de batata, feijão, arroz, açúcar e azeite. Esta falta é atribuída ao mau funcionamento dos celeiros municipais.
Outobro / Dezembro de 1918 – Regista-se um surto epidémico de pneumónica no concelho, provocando a morte a mais de cem vítimas, principalmente nas freguesias rurais. Por este facto são proibidas a realizações de feiras, mercados e espectáculos públicos e mobilizados todos os automóveis e carruagens de aluguer para assistência médica.
13 de Julho de 1919 – Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
Dezembro de 1920 – Inicia-se em todo o concelho uma constante agitação devido à falta e retenção de azeite e farinhas em armazéns de empresas.
29 de Janeiro de 1922 – Realizam-se eleições para o Parlamento.
26 de Novembro de 1922 - Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
6 de Dezembro de 1925 - Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
21 de Outubro de 1926 – A irmandade de Nossa Senhora do rosário do Pego toma posse judicial da Igreja Paroquial e do adro anexo.  Em 21 de Novembro a igreja é entregue á comissão dos bens culturais da freguesia, de que resultam conflitos pessoais que levam o Bispo da Diocese a interditar a irmandade. A igreja permanecerá fechada, reabrindo excepcionalmente por ocasião de festividades.
16 de Março de 1928 – É publicado a portaria nº 5251 que cria e abre à exploração o Posto telefónico do Pego.
Maio de 1928 – É inaugurado o posto telefónico do Pego.
5 de Maio de 1929 – É detectado no Pego e em Alvega a circulação de notas falsas de 20$00 (chapa 4). Agentes de investigação criminal apreendem notas falsas no valor de 400.000$00 bem como o material de tipografia. Os falsificadores são presos.
24 de Junho de 1930 – É publicado o decreto nº 18533 pelo qual o governo autoriza a Freguesia do pego a alienar umas oliveiras , cujo produto de venda é destinado á conclusão da escola e á construção da residência do professor.
19 de Março de 1933 – No plebiscito feito á Constituição da Republica Portuguesa os resultados na freguesia são; 697 o favor; 146 Aprovação táctica; 9 contra.
29 de Janeiro de 1936 – A região é fustigada por um ciclone. É também sentido um pequeno abalo sísmico. O mau tempo faz-se sentir por todo mês de Fevereiro.
30 de Maio de 1937 – Um casal de habitantes do Pego, representa o Município num cortejo folclórico realizado em Lisboa.
17 de Outubro de 1937 - Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
23 de Junho de 1938 – O conselho é assolado por um violento ciclone que provoca consideráveis prejuízos materiais.
30 de Outubro de 1938 - Realizam-se eleições para a Assembleia Nacional.
16 de Abril de 1939 – O ministro das Obras Publicas, Engº Duarte Pacheco, inaugura o abastecimento publico de água ao Pego.
Abril de 1939 – É constituído o grupo de Futebol “União Aguense” no Pego
10 de Junho de 1940 – O rancho folclórico do Pego participa nas comemorações do centenárias da fundação da Nacionalidade que se realizam em Santarém.
9 de Abril de 1940 – A CMA manda executar o novo cruzeiro do Pego, em virtude de o antigo estar arruinado.
Outubro de 1940 – Desenvolve-se um surto no concelho de febre tifóide originado pela contaminação das águas públicas.
19 de Outubro de 1941 - Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
26 de Novembro de 1941 – Pelas 18H05 é sentido na região um pequeno abalo sísmico.
8 de Fevereiro de 1942 - Realizam-se as eleições para a eleição do Presidente da Republica.
1 de Novembro de 1942 - Realizam-se eleições para a Assembleia Nacional.
21 de Outubro de 1945 - Realizam-se as eleições para a junta de freguesia.
18 de Novembro de 1945 - Realizam-se eleições para a Assembleia Nacional.
13 de Fevereiro de 1949 - Realizam-se as eleições para a eleição do Presidente da Republica.

NOTA: Esta pesquisa foi retirada do livro “Cronologia de Abrantes no século XX" da autoria de Eduardo Campos*, com edição pela Câmara Municipal de Abrantes.
Esta edição poderá ser encontrada na Biblioteca António Botto do Pego.
* Nasceu em Abrantes em 1950, e exerceu as funções de coordenador de gestão documental dos arquivos da CMA.

BREVEMENTE CRONOLOGIA DO PEGO NO SÉCULO XX (1950 – 1999)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...