quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Artesanato da Aldeia do Pego


De todo o artesanato outrora existente no Pego apenas perduram no tempo os palmitos, os santinhos do Pego (Registos), os empalhados, os trabalhos bordados e as rendas.

Palmitos:
São pequenos ramos de flores artificiais, com maior tradição na freguesia do Pego, também designados de Saudade. Estas flores são feitas com papel de seda de cores variadas, arame fino, arame grosso, papel prateado e cola. Depois de feitas as pétalas, coloca-se sobre elas cola e pedacinhos de pratas douradas e prateadas. São, geralmente, usados nas cerimónias fúnebres. Nesta zona também são feitos "ramos" com este tipo de flores, sendo utilizados para decoração de casas.



Santinhos:
A partir de estampas de santos, vidro, cartão, papel e alguma imaginação, nasceram os santinhos para decoração das “casas de fora”.


Empalhados:
Os empalhados é um outro tipo de artesanato. Consiste no empalhamento de cadeiras, bancos, cadeirões e almofadas para mesas. A matéria-prima utilizada é a atabua ou bunho, planta que cresce em águas paradas e pantanosas. Depois de apanhado a matéria-prima, esta é posta a secar. Depois de seca é aberta e retiram-se-lhe as folhas. Antes de ser utilizado, a atabua ou o bunho, é humedecido de forma a não partir e a tornar-se mais maleável.


Bordados:
Mas no Pego a tradição de bordar não se perdeu, bordar quadros sobre linho, a ponto de pé-de-flor, a cheio e nozinhos, com cores vermelha, amarela e creme. Trabalhos de bainhas abertas, bordados em toalhas, colchas, cortinados, napperons, são verdadeiras obras de arte.



Visite a Aldeia do Pego (mais informações na Junta de Freguesia) 

 (Parte deste artigo foi pode ser visto no site do Rancho Folclórico do Pego)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...